Saving Hope (2012 - 2017)

28 de maio de 2018

Um belo dia eu tava de boas com várias séries atrasadas na minha grade, até que a linda da Chei me recomendou Saving Hope  e o post de hoje é totalmente dedicado à essa série maravilhosa e injustiçada.


Quando o carismático chefe de cirurgia Charlie Harris (Shanks) no hospital de Toronto acaba em um coma, ele deixa o hospital um caos – e deixa sua noiva e companheira cirúrgica Alex Reid (Durance), em um estado de choque. Junto com o novo recém-chegado cirurgião Joel Goran (Daniel Gillies), Alex corre para salvar a vida de Harris. Conforme a ação se desenrola, Dr. Harris vaga pelos corredores do hospital, em forma de um espírito, sem saber se é um fantasma ou uma invenção da sua imaginação. Reid, junto com seus colegas médicos, tentam salvar a vida de Charlie e a de seus outros pacientes. Eles lidam com complicadas e corajosas decisões que são feitas em sua luta diária para manter a esperança viva de poder despertar e ficar com sua companheira.

A sinopse não te convenceu? Então pega quatro motivos!

01. Se passa num hospital
A série retrata um grupo de médicos que trabalham no Hope Zion, um hospital de Toronto. E tudo começa quando Charlie sofre um acidente que o deixa em coma. O espírito de Charlie vaga pelo hospital, sem poder sair dali e sem saber se é real ou fruto de um sonho letárgico. Preso entre o mundo dos vivos e dos mortos, Charlie acaba se tornando uma espécie de guia e amigo das almas que morrem ali no hospital e estão de partida. Além disso, Charlie também pode se comunicar com médiuns e outras pessoas que também estão em coma ou em situações em que a alma pode sair do corpo, como numa cirurgia.

02. Dramédica com romance e amizade
Charlie é noivo da protagonista Alex e a atriz consegue passar ao telespectador todo o sentimento que a personagem sente. Foram inúmeras as vezes que eu queria atravessar a tela pra poder abraçá-la. E, a partir da segunda temporada, eu passei a deixar uma caixinha de lencinhos ao lado do pc, porque precisei. E precisei muito. Há outros casais super fofos formados dentro do hospital mas mais que isso, os personagens desenvolvem uma ótima amizade entre si, verdadeira e super inspiradora pra gente aqui do mundo real.

03. Personagens
O que mais chama atenção é mesmo que dê uma focada no caso da semana, a gente ainda percebe a evolução dos personagens. De todos. A gente vai aprendendo um pouco sobre eles a cada episódio que passa e na última temporada nossos sentimentos já mudam completamente, de forma positiva, negativa ou só ficam mais intensos.

04. Combo completo
Tem trio romântico, tem aquele casal lindo de shippar, tem aquela amizade que a gente sempre quis, tem drama familiar e trauma psicológico. A série é finalizada, com cinco temporadas e final fechado. Sendo que sua última temporada foi toda trabalhada no fechamento da história e dos personagens. Esses, pra mim, são os maiores pontos positivos da série já que ela tem um introdução, meio e fim. Nada é introduzido sem motivo, os plots apresentados não ficam em aberto e todos os personagens são destinados a algo.

Não vou negar que tem mais do que apenas quatro motivos, mas muita coisa continha spoiler e eu resolvi remover mesmo. Essa é uma das séries (senão "A") que eu mais me apeguei aos personagens, gosto de todos eles e meio que acabei criando um apreço grande pelos atores também. Sério, é impossível não se envolver na trama e chorar com os dramas ou sorrir com as alegrias dos personagens acaba se tornando parte de quem assiste a série. A minha média final é de 8.83, acho que não é nada mal pra uma série médica que oferece mais do que a gente acredita ao ver sinopse e piloto.

Adicione Saving Hope na sua grade e não se esquece de adicionar a Chei também!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

topo ▲