0

A metamorfose [Franz Kafka]

21.3.16

안녕하세요! Os temas do IDY do mês de fevereiro eram
  1. Livro divertido
  2. Um livro da TBR
  3. Livro com a sua inicial

E eu escolhi o segundo tema, porque tenho muitos livros pra ler, fora os já selecionados pro desafio, claro.

Eu terminei o livro ainda em fevereiro, mas com meu notebook no conserto, a correria da faculdade e estudos caseiros, eu só consegui fazer a resenha agora. Quer dizer, já tinha uma parte preparada porque eu não queria me esquecer de alguns detalhes, mas demorei MAIS de um mês INTEIRO pra conseguir concluir esse post sem nenhuma interrupção. E, ainda assim, só vim aqui porque não conseguia fazer um exercício de programação e precisava me concentrar em outra coisa pra esfriar a cabeça E preciso tomar vergonha na cara esse ano, né'! Enfim...

Título Original: Die Verwandlung
Autor: Franz Kafka
Editora: Hedra
Ano: 2009
Gênero: Literatura alemã, conto


Uma das obras literárias mais lidas e comentadas do século XX, A metamorfose ganha aqui uma nova tradução direta do alemão. A novela narra a singular história de Gregor Samsa, um caixeiro viajante que certo dia acorda em sua cama transformado em inseto.

Plena de significados simbólicos, a obra deu origem às mais diversas interpretações. Famosas são as associações de ordem psicanalítica sobre a relação de Kafka com seu pai. Deve-se a Vladimir Nabokov a interpretação de que a obra não é redutível a dramas familiares do autor mas, sim, a expressão da tensão do artista em meio à sociedade burguesa de sua época.

A metamorfose (Die Verwandlung, 1915) foi publicada originariamente na revista expressionista Weiße Blätter, que abrigava textos da nova geração de escritores alemães como Heinrich Mann, Ernst Bloch e Rosa Luxemburgo.

O livro conta a história de Gregor que numa bela manhã acorda atrasado para o trabalho e na forma de um inseto. A história já começa daí, então não dá pra saber muitos detalhes sobre a vida do Gregor humano, a não ser o que tem no livro e que ainda não é muito pra gente conhecê-lo bem. Enfim, como ele nunca havia se atrasado para o trabalho, seus pais vão acordá-lo e até o gerente da loja em que trabalha vai atrás dele pra saber o que aconteceu. E literalmente, porque o cara aparece lá na casa dele pra saber o que aconteceu...

A partir daí que a história vai tomando rumo. Porque até então, ninguém sabia o que tinha acontecido a Gregor, até que ele consegue abrir a porta do quarto, que estava trancada, e se revela a todos como um inseto. Se ele é um inseto proporcional a um humano, a gente não sabe, mas eu entendi que ele era um inseto do tamanho de um homem, porque ele consegui abrir a porta, mas ele andava nas paredes e no teto então ou o quarto dele que era enorme ou ele era um inseto bem desproporcional oO

Como Gregor não pode trabalhar, sua família vai tomando medidas pra que o dinheiro que o pai de Gregor guardou dure até que a situação se resolva. Mas é época de crise, o pai precisa voltar a trabalhar, a mãe precisa costura mais roupas até a irmã nova se vê obrigada a trabalhar. Eles até tentam alugar um pedaço do apartamento mas Gregor quebra a condição de ficar em seu quarto e nenhum dos inquilinos quer morar debaixo do mesmo teto de um inseto grande.

Não vou falar mais do que isso porque o livro é extremamente fino e eu sinto que já contei metade de toda a história...

O livro não é ruim, mas eu o achei meio cansativo. Enquanto eu o lia, um colega da faculdade me perguntou como eu sabia que a barata era o Gregor e eu o respondi pela lógica que eu peguei do livro: ele dorme com a porta do quarto trancada, ninguém poderia ter aberto, tirá-lo de lá e colocado a barata no lugar dele. MAS, depois que eu terminei o livro, eu fiquei pensando em várias hipóteses, as que eu me lembro agora são: 1) a barata pode achar que sempre fora tratada como Gregor e ter distorcido as situações presentes no livro, que foi escrito no ponto de vista dela; 2) a família é louca; e 3) Gregor realmente existiu mas ele fugiu e deixou uma barata em seu lugar.

Tem umas partes bem nojentas. Mas só o fato de imaginar uma família morando e cuidando de um inseto como um membro já me deixou bem enojada.

Como o livro é escrito em terceira pessoa, eu fiquei com uma pulga atrás da orelha pra saber qual dessas hipóteses mais se aproxima da verdade. Acho que eu nunca vou saber de fato SE alguma delas chega perto da verdade, mas posso dizer que me deixou refletindo por um tempinho.

Tem livros que a gente simplesmente não esquece e A metamorfose fica em cima do muro, pois eu me lembro da história e dos personagens, mas não muito de seus detalhes. Mas deu pra fazer a resenha de boa. Minha nota é 4.0, mas eu não sei se recomendaria pra alguém. Pelo menos não do meu círculo social, não consigo me imaginar falando "Lê A metamorfose do Kafka, é bem legal". Ai, ai...

Fonte: Sinopse

OBS.: O exercício que eu tava fazendo quando vim terminar o post já foi finalizado e entregue. Pena que não ficou 100% porque só fiz um de dois ¬¬' MAS o que eu estou fazendo essa semana vai sair tinindo u.u
Blogger
Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Voltar ao topo
voltar ao topo