4

O que aprendi em 2015

14.1.16

안녕하세요! Deu pra perceber que eu tinha parado de postar sobre o Me Amo Assim aqui no blog, mas aconteceu muita coisa durante o ano passado e eu tive que mudar, de um modo bem literal, minha vida.


As mudanças do ano passado me fizeram tirar bons aprendizados, de um modo bem pessoal, e vou usá-los aqui, já que é o tema do mês. Eu ia fazer em lista numerada, mas e eu tenho uma coisa com números... Então vou deixar assim mesmo.

  • Me aceitar do jeito que sou

Eu sempre senti algo errado em mim, ficava com aquela sensação de que se eu não fizesse o suficiente pras pessoas elas jamais me aceitariam. Eu era inconstante, não me sentia bem se não me sentisse aceita e por isso eu sempre mudava quem eu era. Passar pela crise de identidade me fez abrir o olhos pro meu eu interior. Hoje me reconheço e me aceito do jeito que sou, e nada se compara à sensação de liberdade que isso traz!

Além disso, reconhecer meus defeitos também é outro aprendizado que tem me ajudado bastante de uns tempos pra cá. É muito a cara daqueles ensinamentos antigos da minha mãe... Mas eu acabei descobrindo que muitas coisas que eu tratava como "eu sou assim" eram defeitos mesmo! Gente, não tem nada pior que viver de defeitos, sério! Eu sei que ninguém é perfeito, mas não custa nada. E se a gente pode enxergar os defeitos dos outros, porque não enxergar o nossos próprios? #FicaADica

  • Dividir os sentimentos

Guardar os sentimentos faz muito mal, não importa a natureza deles. Se você ama, diga que você ama. Se você odeia, diga que você odeia. Mas sendo quem sou, eu não consigo simplesmente chegar em alguém e falar "eu amo você". Sendo assim, o que eu mais gosto de fazer é demonstrar com ações, e no caso de eu não gostar de alguma coisa eu também deixo explícito. É mais um peso que saiu das minhas costas!

  • Autoconhecimento

Eu não tinha confiança em mim mesma pelo simples fato de não conhecer a mim mesma... Eu passei tanto tempo confusa sobre quem eu era, sem saber qual a minha verdadeira personalidade que eu não conseguia olhar no espelho e me sentir orgulhosa de ser quem eu era. Era como se o reflexo não fosse meu, e sim de outra pessoa, um total desconhecido. Eu aprendi que só se aceitar não basta, até porque pra eu se aceitar você tem que se reconhecer. Sabe quando você se olha no espelho e pensa "eu sou assim"? Então, eu nunca tinha sentido isso até começar a participar desse projeto e ler textos de outros participantes, dos quais eu me identifiquei ocasionalmente.

Eu comecei a me fazer uma série de perguntas e fui em busca de respostas sinceras. Uma das perguntas que eu mas me fiz foi se eu era feliz. Aí eu lembrei da minha infância e me veio aquela sensação de nostalgia, senti falta da pessoa que eu fui e comecei a pensar em tudo o que contribuiu pra eu ter me tornado uma completa estranha. E por fim, a pergunta mais importante que eu fiz era quem sou de verdade e fui revendo e descobrindo coisas que eu gosto e não gosto. Depois disso eu passei a me reconhecer não como mais uma pessoa, mas como uma pessoa diferente de qualquer outra. Aprendi que posso ser parecida com muitas pessoas, mas nenhuma delas é igual a mim, e vice-versa.

É isso! Eu poderia adicionar mais coisas aqui, mas eu sairia do contexto do projeto, já que ele visa o amor próprio.

O projeto em outros blogs
Lenise Battisti | Desencana
Blogger
Facebook

4 comentários:

  1. Dia desses eu estava comentando com uns amigos o quanto auto conhecimento é importante, acho que deveria ser a meta anual de todo mundo, né? Quando nós nos conhecemos tudo fica melhor e mais fácil de se alcançar <3
    Espero que você continue seguindo bem nessa jornada que só tem a te oferecer coisas boas!
    Adorei o blog, beijinhos :3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Raira. Aham, deveria sim! Foi pelo autoconhecimento que eu passei a me conhecer melhor e a me reconhecer. Hoje eu sei quem sou e onde me encaixo.
      Ai se todos a minha volta me dessem um apoio assim!!!
      Obrigada. Beijos e volte sempre que quiser, viu ♥

      Excluir
  2. Nossa, tb fiz muito do q vc contou no teto, mas não me arrependo, há males que vem para o bem! Conhecimento nunca é demais! ;) Adorei <3
    www.polyannacardinot.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Polyanna! Eu tbm não me arrependo. E eu sou muuuito a favor de que as pessoas tenham esse conhecimento sobre si mesmas :)

      Obrigada pela visita.
      Beijos ♥

      Excluir

Voltar ao topo
voltar ao topo