0

O demonologista [Andrew Pyper]

29.1.16

안녕하세요! O IDY2.0 veio com três temas mensais e eu escolhi "livro assustador".  E eu não poderia escolher livro melhor pra esse tema! Não por ser o único na minha estante que se encaixe, mas porque: CARAMBA QUE LIVRO!!!!!

Título Original: The demonologist
Autora: Andrew Pyper
Editora: DarkSide Books
Ano: 2015
Gênero: Ficção, literatura americana


“A maior astúcia do Diabo é nos convencer de que ele não existe”, escreveu o poeta francês Charles Baudelaire. Já a grande astúcia de Andrew Pyper, autor de O DEMONOLOGISTA (DarkSide® Books, 2015), é fazer até o mais cético dos leitores duvidar de suas certezas. E, se possível, evitar caminhos mal-iluminados.

O personagem que dá título ao best-seller internacional é David Ullman, renomado professor da Universidade de Columbia, especializado na figura literária do Diabo – principalmente na obra-prima de John Milton, Paraíso Perdido. Para David, o Anjo Caído é apenas um ser mitológico.

Ao aceitar um convite para testemunhar um suposto fenômeno sobrenatural em Veneza, David começa a ter motivos pessoais para mudar de opinião. O que seria apenas um boa desculpa para tirar férias na Itália com sua filha de 12 anos se transforma em uma jornada assustadora aos recantos mais sombrios da alma.

Enquanto corre contra o tempo, David precisa decifrar pistas escondidas no clássico Paraíso Perdido, e usar tudo o que aprendeu para enfrentar O Inominável e salvar sua filha do Inferno.

David Ullman poderia ser um simples professor de uma universidade, se não fosse pelo fato de ser assombrado por fantasmas do passado. Quer dizer, não necessariamente assombrado, mas ele carrega uma escuridão dentro de si - que foi passada pelo pai e que agora também foi passada para a filha. O livro não deixa explícito como o pai de David conseguiu essa escuridão, se foi ou não passada de geração em geração e nem o porquê. Mas, na busca por respostas, David acaba descobrindo alguns fatos do passado.

A história começa mostrando um pouco do cotidiano de David e vai seguindo nesse ritmo até a visita que David recebe em sua sala na universidade. A visita, chamada mais tarde por David de Mulher Magra, o oferece a oportunidade de um trabalho na Itália. Não um trabalho relacionado às aulas como professor, mas relacionado à formação de David: demonologia, e que a Mulher Magra revela apenas as condições e o necessário, deixando David (e todos nós, leitores) com uma curiosidade enorme. Depois de uma briga com a esposa, David aceita a viagem e leva junto a filha Tess, uma menina de 11 anos que tem mais afinidade com o pai do que com a mãe.

Durante a viagem, David precisa ir à uma casa para descobrir sobre o trabalho que tem que ser feito, mas nada é esclarecido e ele segue as instruções da forma que acha que tem que ser executadas. Mas algo perturbador acontece e ele passa a ser testemunha e dono de uma prova de que o mal realmente existe. Só que não é só isso. Porque esse mal vai para vida de David e pega Tess. Então a história passa a ser sobre a corrida de David contra o tempo para encontrar a filha que lhe foi tomada.

Para isso, David conta com a ajuda de Elaine, professora no Departamento de Psicologia, que é bem próxima de David e, ao que tudo indica, a única e melhor amiga do professor. Apesar de ter uma doença terminal e de não saber o que realmente aconteceu durante a viagem, Elaine passa a ajudar David a decifrar enigmas tendo como base "Paraíso Perdido", um trabalho de John Milton e que ambos já conhecem muito bem.

O livro dá um passo de cada vez, e conforme eu lia e ia criando as imagens na minha mente, a história foi sendo como um filme. É bem fácil de imaginar as palavras em forma de imagem porque não é um texto apressado e as coisas não são improváveis. Não se engane com o título do livro. Pois não é como Constantine e quando comprei eu já sabia que não seria como o filme ou a série. O autor, Andrew Pyper, detalha esses acontecimentos de uma forma que me fez ficar pensando se a história não era real, e se o livro não era mesmo um diário.

Eu, com meus quase 21 verões e mais de 100 livros lidos, posso afirmar que NUNCA senti um livro tão na pele como eu senti esse. Gente, eu fiquei arrepiada e muitas vezes nem conseguia pegar no sono porque pra quem tem imaginação fértil como eu, o livro se torna uma daquelas casas dos horrores de parque, sabe? Só que o terror de um parque de diversões é que lá a gente sabe que é tudo falso (desculpa, mas não tem como acreditar que aqueles fantasmas são reais), bem diferente da realidade que o livro passa. Gente, eu comecei essa resenha já tem mais de duas semanas e parei porque fiquei com medo. Agora eu tô aqui terminando, com toda a coragem que eu consegui juntar, e tô ficando arrepiada.

Teve umas partes que eu achei bem perturbadoras, mas essa é a diversão! Porque qual o sentido de ler um livro com esse nome e não ser atormentada pela minha própria escuridão? Recomendo pra caramba, mas tem que ter estômago forte, porque tem gente que não aguenta/gosta de terror e muito menos de senti-lo. Ah, uma coisinha: lembram do John Milton, que eu citei lá em cima junto com sua obra "Paraíso Perdido"? Então, no final do livro, tem um pouquinho sobre Milton e sua obra, que fala da queda de Lúcifer, a expulsão de Adão e Eva do Éden, pandemônio e tal. Confesso que fiquei bem curiosa pra conhecer essa obra em detalhes.

Falando em detalhes de obra, eu queria deixar uns pontos interessantes sobre o livro do Andrew Pyper. À primeira vista o livro parece ter capa de tecido, mas não é. Só que o legal é que ao passar o dedo no título do livro, na moldura da capa e nas artes da capa e contracapa, a gente consegue sentir essa textura de tecido, ou seja lá qual o material que ele se pareça. Outra coisa, quando o livro tá bonitinho lá na estante, a lombada passa a impressão de que é um livro antigo. E a parte "quadriculada" da lombada também dá pra sentir, como se o livro tivesse uma lombada original e ela se descolou com o tempo.

Lombada de O demonologista - Andrew Pyper
A lombada do livro ♥

Ilustração de O demonologista - Andrew Pyper
Ilustração da parte de trás da capa

Ilustração de O demonologista - Andrew Pyper
Ilustração da parte de trás da contracapa

Contracapa de O demonologista - Andrew Pyper
Contracapa do livro

Eu sou leiga em bater foto, gente. Eu sei que não tá aquela perfeição, mas tá visível. E sim, eu tirei algumas na escada porque era o único local iluminado e arrumadinho pra foto sair meio decente. Mas eu queria deixar registrado essa belezura física pra geral ver e entender do que eu tava falando no parágrafo de cima ♥

Eu queria escrever bem mais sobre o livro, mas a maioria das memórias é spoiler ;( O livro nem parece tão cabuloso, mas recomendo que leiam e tirem suas conclusões. Lembrando que cada um sente de uma forma diferente e, pra mim, esse livro entra pra lista de coisas que me dão medo.

Fonte: Sinopse
Blogger
Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Voltar ao topo
voltar ao topo