0

Como eu aprendi inglês

24.6.15

안녕하세요! A Tati Gallner de lá do Coleciono Sonhos me indicou nessa tag. E cá estou, contentíssima, para responder!

Tag: Como e aprendi inglês?


01. Com quantos anos você começou a estudar inglês?
As lembranças mais antigas que eu tenho são de quando eu tinha por volta dos meus 7~8 anos. Eu lembro que tinha uns livros dessa época da escola, mas eu não sei com precisão de que ano eles são.

02. Você aprendeu inglês na escola, no cursinho ou sozinha?
Apesar de ter começado cedo, as aulas da escola não me ajudaram a sair do básico, por n fatores. Mas como eu sempre tive interesse pela língua eu resolvi aprender por conta própria. Meu inglês não é lá essas coisas que todo diz, mas é um quebra-galho quando eu preciso.

03. Qual foi ou ainda é a sua maior dificuldade em inglês?
Por ter aprendido muita coisa sozinha, o mais difícil foi conseguir manter uma rotina e me dedicar. Confesso que a rotina eu deixei de lado, mas todo o esforço que eu dediquei ajudou bastante. Além disso, eu ainda preciso aprender a ouvir com mais precisão. É ruim quando não se tem ninguém pra te ajudar numa dificuldade, e isso acontece frequentemente comigo. O jeito foi ver vídeos sem legenda mesmo e ficar num loop eterno pra conseguir entender o que a pessoa falava!

04. O que você pensa dos cursinhos que prometem te fazer aprender inglês e ser fluente em 1 ano? E dos cursinhos que pra chegar em nível avançado você leva em média 4 anos?
Aprender inglês até vai, mas ser fluente é impossível! O inglês tem muitas regras, e em apenas 1 ano não dá pra ver tudo o que precisa pra ser fluente. Quanto à segunda pergunta, eu acho que é uma opção mais válida. Antes você levar 4 anos pra chegar no nível avançado, do que estudar por um tempo menor e não sair do básico…

05. Com que frequência você fala inglês?
Sendo bem sincera, sempre que eu tou sozinha eu dou aloka aqui e acabo falando em inglês. Mas, por estar sozinha, eu acabo falando com meu cachorro kekeke. É mais uma questão de treinar a pronúncia das palavras mesmo.

06. Qual é o seu sotaque preferido?
Na boa, tem coisa mais linda que inglês britânico ou australiano? Eu AMO e não entendo o porquê de as pessoas não gostarem desse sotaque lindo lindo (‘-‘).

07. Você tem algum certificado internacional?
Por enquanto não. Mas tenho planos pra adquirir um.

08. De 0 a 10, quanto você gosta de inglês?
9,5 (se eu não estivesse na área de TI, eu seria tradutora e intérprete).

09. Você já estudou inglês em outro país? Qual?
Não. Nunca nem saí do Brasil!!!

10. Na sua opinião inglês é fácil ou difícil? Por quê?
Na MINHA opinião o inglês é fácil até certo ponto. Como tudo na vida, o inglês também tem suas complicações.

11. Você já pagou algum mico por não ter entendido nada ou por não saber se comunicar? Conte pelo menos um.
Já, sim! Ai, gente… Certo dia, na aula de inglês na ETEC, a profª perguntou o que era “sheet”. E eu, como toda aspirante a expert, acabei entendo “shit” e falei bem baixinho (com medo de alguém ouvir) que era “merda”. NINGUÉM na sala me ouviu, com exceção de uma amiga sentada ao meu lado… E da própria profª. Simultaneamente as duas tiveram um ataque de risos. Agora, graças aos unicórnios, eu sei a diferença de sons entre “ee”, “ea” e “i”.

12. Você confia no Google Tradutor? Por quê?
Até certo ponto, sim. Pra traduzir palavras e expressões mais conhecidas/usadas, ele é ótimo… Mas se o GT peca até nas traduções de pequenas frases, imagine nas de textos grandes!

13. Por quê você decidiu aprender inglês? O que isso mudou na sua vida?
Eu não sei muito bem o porquê e até acho que não tenho um. Eu sei que tava no ócio e pensei “vou aprender inglês” e pronto. Na época eu achava que inglês era coisa de gente chique, mas hoje eu vejo os benefícios. Muita coisa da ETEC e da faculdade acabaram sendo enxergadas de outra maneira.

Quando você sabe inglês e quer seguir carreira na área de TI, principalmente com desenvolvimento, você acaba “entendendo melhor” o que você tá programando. No meu caso, eu percebi que conseguia entender melhor cada tag de HTML, cada comando de javascript e cada estilização do CSS. E isso tá sendo uma mão na roda, já que é nessa área que eu quero focar!

14. Compartilhe uma dica que te ajudou no seu aprendizado.
Tem várias dicas por aí, mas vou dar uma com um toque a mais e que me ajudou bastante. Leia artigos em inglês e traduza a esse artigo. Se for sobre algum tema que você goste, melhor ainda, já que o interesse em saber sobre o que se trata é maior! O toque que eu vou dar não me foi ensinado, eu aprendi na marra. Eu sei que muita gente sabe disso, mas acho que o percentual de quem não sabe é maior… Ao invés de traduzir palavra por palavra, traduza oração por oração. Assim, você aprende qual o significado correto de uma palavra naquele contexto e, no caso de algo mais descontraído, dá pra aprender várias expressões.

Outra coisa (não tou me contendo!): nunca traduza uma expressão direto pelo tradutor, procure no tio Google qual o significado. Muitas vezes, os sites e apps acabam traduzindo palavra por palavra e a expressão perde o sentido, principalmente se for expressão local.

15. “Tagueie” 3 pessoas para responder essa TAG!
Eu deveria taguear as três pessoas... Tipo, eu gosto de ser tagueada, mas eu nunca me sinto confortável em taguear alguém! Então eu vou deixar em aberto pro pessoal se sentir à vontade pra responder se quiser!
Blogger
Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Voltar ao topo
voltar ao topo