2

Projeto Me Amo Assim + Como aprendi a me amar

20.2.15

안녕하세요! Estava à procura por projetos legais pra participar e eis que surge o convite e eu não resisti e tive que participar. Basicamente, o projeto tem o intuito de ajudar as pessoas que não tem amor próprio, para que um dia elas possam dizer com convicção que se amam. Os participantes podem fazer blogagem coletiva e postar fotos nas redes sociais com os temas escolhidos. Preparados?

Link do grupo do projeto lá no face: Me amo assim



Aquele medo de o post ficar chato ou  grande demais, mas vamos lá!

Eu sempre fui cheinha. Sempre. Mas nunca enxerguei problemas nisso. Minha baixa autoestima veio depois que entrei no Ensino Fundamental II (6º ao 9º ano/5ª a 8ª série), eu passei a perceber que aparência realmente importava, principalmente na questão de que "panelinha" você se encaixaria. Ter percebido o quão acima do peso eu estava foi só a ponta do iceberg, porque ainda tinha o fato de eu usar óculos, ter o cabelo cacheado, ser parte da minoria negra da escola (tenho o maior orgulho de ser negra/parda e teria o mesmo orgulho se fosse de qualquer ou raça) e, com o tempo, até a minha alegria virou motivo de risos e chacota das pessoas.

Apesar de sempre ter tido amigas e nunca ter ficado de fato sozinha, eu ainda me sentia excluída. Não sofria, necessariamente, bullying, mas sempre tinha alguém pra zoar comigo e querer puxar briga pra que eu fizesse papel de idiota. Várias e várias vezes eu chegava em casa com a cabeça explodindo pela vergonha que me faziam passar ou até mesmo chorava enquanto corria pros braços da minha mãe. E então eu passei a acreditar que me oferecer amizade era apenas uma forma de a pessoa mostrar que não sentia repulsa por mim, mas muito menos empatia. Naquela época eu acreditava que para que eu me aceitasse, eu teria que ser aceita pelos outros. Passei por várias transformações, mudei de personalidade como quem troca de roupa todo dia, fazia de tudo pra manter aquelas amizades, por mais falsas que algumas tenham sido, já vivi à base de alface e água e até já passei por depressão.

Atualmente, eu luto muito mais com o que sinto e sempre demonstro quem eu realmente sou. Cansei de ser aquilo que as pessoas querem que eu seja pra agradá-las e passei a me olhar de uma forma diferente. Perceber que não posso depender de com quem eu ando e tomar um chá de amor próprio foi o primeiro passo.  Demorei anos pra ter uma personalidade própria, achar minha verdadeira identidade e aceitar quem eu sou. Posso não me sentir 100% segura sobre mim mesma, mas eu achava que nunca conseguiria demonstrar amor próprio e mesmo com uma autoestima ainda em crescimento, a taxa só tende a subir.
Blogger
Facebook

2 comentários:

  1. nossa estou lendo um pouco atrasada rsrs... mas adorei vc realmente me inspirou espero que continue batalhando por se conhecer e ser aceitar cada dia mais do jeito que é!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz em saber que esse post te inspirou porque ele me ajudou muuuuito a superar alguns traumas do passado.

      Obrigada pela visita. Bjs ♥

      Excluir

Voltar ao topo
voltar ao topo